19 de janeiro de 2008

Across the Universe

Minha cabeça está vazia nesta manhã de sexta-feira. Tudo o que há são músicas dos Beatles e lembranças do filme que assisti ontem. Demorei, mas fui ver Across the Universe. (E também foi a primeira vez que sentei minha bunda na larga poltrona da sala principal do Cine Bombril. Tão confortável...) Muitos não gostaram do filme. Ok. Sempre alguém diz que não gostou de um certo filme. Isso acontece com os melhores filmes. Eu mesma não gostei de Matrix. Fato é que para uma pessoa que conhece Beatles sem profundidade, sem fanatismo, o que vier é lucro (O único álbum que eu conheço bem é Help, pois ouvia todo dia no caminho da escola). Eu não ligo se o filme não representou bem a vida e obra da banda. Ou a profundidade das letras, etc. Até porque eu não acho que o filme tinha tal pretensão. Como é que um ser humano vai conseguir adivinhar o que se passava na cabeça de um compositor,de um beatle? Tentar adivinhar é um bom exercício, mas conseguir acertar não existe. É apenas um filme inspirado pela vida e obra dos Beatles, feito de impressões pessoais. Sem ser exato. Como este comentário.

Gostei bastante justamente pela mistura de uma época antiga (anos 60) com idéias mais "modernas", um filme mais rápido, dinâmico, coisas dos anos 90 pra frente. No começo achei que ia assistir um conjunto de videoclipes televisivos, coisa que gosto, e que me lembra a adolescência. Mas o filme foi além disso, ainda bem. Ainda me impressiona muito a criatividade e diversidade de idéias para cada música. E algumas são hilárias, como I wanna Hold Your Hand, mas não vou contar para não estragar, se você ainda não assistiu. Gostei de tudo. Desde as primeiras músicas com cara de Grease (With a Little Help from My Friends, It won't be long, I’ve Just Seen a Face), com coro corny de homens cantando, até a época mais hiponguete. Na verdade, até que não senti aversão pelos hippies nesse filme. Até deu para entender o sentimento de liberdade e idealismo deles. E a amizade de Jude e Max parece perfeita demais, mas fica bonito no filme,sabe?

E Fê, eu adorei a parte dos morangos, como é que você não gostou??? Achei aquele quadro a coisa mais bonita e criativa de todo o filme. Adorei também os homenzinhos azuis do circo. E o Mr. Kite (do Sargent Peppers’ Lonely Hearts Club) poderia ter sido interpretado por Billie Joe Armstrong, achei a cara dele. Adorei todas as danças felizes, e as tristes também. A no boliche é demais. E a Prudence parece minha prima Ana Paula. Há

Resumindo, me senti bem e muito viva durante as mais de duas horas de filme. E a Folha deu nota mínima , pfff. Críticos são hilários.



4 Comments:

At 5:06 PM, Blogger Paula Oliveira said...

Críticos não sabem de nada...rs

Agora... tem sala principal no Cine Bombril? :O das poucas vezes q fui achei sempre esquisita a sala...rs

Posts sobre cinema me dão vontade de ir... faz uma cara q não faço isso, to precisando.

Bjinhos!

 
At 5:12 PM, Blogger Fernanda Tsuji said...

Então, não é que eu tenha odiado, só acheio meio..ahn...sem graça, sei lá...mas eu gostei do filme. Acho que se você assistí-lo sem pretensão é diversão certa. Além do mais, meninas sempre gostam de musicais, é quase intrínseco. E tb fiquei com as músicas na cabeça. Vc viu a resenha que eu fiz no blog do teatro?
Vamos tentar marcar alguma coisa depois do carnaval...tô precisando urgentemente desestressar....o curso tá foda!
beijos

 
At 5:13 PM, Blogger Fernanda Tsuji said...

eu tava falando da parte dos morangos...

 
At 11:01 AM, OpenID gisellezayat said...

Eu quero muito ver esse filme, mesmo porque eu amo os Beatles. Eu vivo dizendo, que eu separo as pessoas no mundo entre: pessoas que gostam de beatles e pessoas que gostam de rolling stones. eu sou beatles. mas tenho que assistir primeiro, de repente eu acho um saco, vai saber.

 

Postar um comentário

<< Home