8 de janeiro de 2007

Super Mario

Olha, pode ser muita presunção de minha parte, mas eu acho que a minha geração – aquela que cresceu nos anos 80 e 90 – foi a última geração de crianças com alguma infância digna. A tecnologia de então já avançava, mas ainda não fazia tanta parte da nossa vida. Que computador, que nada, o primeiro que entrou na minha casa foi em 1996, eu acho. Na minha família, foi a última geração que tinha uma rua pra brincar, pra tomar sorvete e gelinho, andar de patins e carrinho de rolimã, e brincar de esconde-esconde e de escalar árvores.
Hoje me lembrei de um importante personagem da nossa infância. O Mario Bros, e os videogames Nintendo e Super Nintendo. Mario Bros sempre vai lembrar minha infância. Mario 1, 2, 3, Dr Mario, Mario Paint, e seu dinossauro, Yoshi Cookies. Aaah...
1ª lembrança: os meninos jogavam Mario 3, num quarto com beliche na casa da minha vó, todo sábado e domingo. Lembro apenas de assistir, e dormir no meio do jogo deles, e de acordar, e já estar em outro ‘mundo’. Só não gostava do mundo do fogo, o 5 eu acho. Gostava quando Mario ganhava uma pena, que saía de dentro de um baú, e com ela ele virava Mario-Raposa e podia voar e pegar moedas no céu.
2ª lembrança: na verdade, eu sou um zero pra videogame, só sabia jogar tetris, bomblis e top gear (corrida de carro). Do Mario só sabia jogar o 2, aquele que você puxa umas cebolas do chão e acerta uns monstrinhos encapuzados, parecidos com pão de forma embolorado. Me lembro de uma única vez aos 15 anos em que joguei bem. Estava na casa de uma amiga do intercâmbio e estava um tanto dopada, e só joguei muito bem por estar dopada.
3ª lembrança: O Mario Paint você tinha que alugar um mouse, que ligava no videogame. Foi a primeira idéia de mouse que eu tive.
4. a vida real. Infelizmente a vida não é como o jogo do Mario. Não dá pra passar de fase logo, não há macetes pra pular de fase apertando os botões secretos. Às vezes a vida parece o Mundo 1, com luz, sol, e desafios pequenos, como a flor carnívora lerda, mas tem hora que me sinto no Mundo do Fogo, com castelo assombrado e lavas vulcânicas a vencer. Aí quero mesmo é aprender aquele truque de passar pra trás do cenário e correr livremente até o fim da fase, pular no quadrado da sorte, e tirar estrela, e ganhar bônus Plim, plim, plim!

2 Comments:

At 6:59 PM, Anonymous  said...

hahahahahahhaha gostei muito desse post. Criativo e engraçado. Eu sempre fui boa em Mario, mas batia no meu irmão quando perdia. Nossa...eu era injusta. Que feio.
Eu pensei que só eu conhecia o Mario 2, o das cebolinhas. Também adorava. Lembra que eles flutuavam? Mas o 3 e o Kart eram meus preferidos.
Eu acho que grande parte do ano de 2006 foi como uma daquelas fases bonus que vc desce no cano e fica só pegando moedinhas. Mas pode ser que eu sinta isso, porque finalmente, meus hormônios adolescentes amenizaram, e eu me sinto mais consciente de tudo.
Enfim, muitos cogumelos e estrelinhas para você!
beijos

 
At 4:15 PM, Blogger 999 said...

Oi!
Fiquei pensando num jeito novo para fazer meu blog, daí acabei desistindo de postar. Mas ah, vou ficar de bla bla bla mesmo haha.
Dia 27 de janeiro eu vou pra SP, a gente podia se encontrar pra fazer algo. Talvez eu volte no mesmo dia, não sei. Vou tatuar a manhã toda! eeeee. E preciso devolver seus mil livros que estão comigo!

Obs: Não achei o pufe na foto!

Beijo

 

Postar um comentário

<< Home