11 de outubro de 2006

mais devaneios

No 2º ônibus do trajeto, 4º do dia, num trânsito básico de quarta-feira-véspera-de-feriado, depois de vinte e poucas páginas transcorridas, fecho o livro semi-pornográfico (Fermata, de Nicholson Baker), cansada de tantas bundas, **zinhos, talos, e sucos (o cara tem um vasto e imaginativo vocabulário). Além disso, a conversa em alto e bom som nas cadeiras da fileira de trás me chama a atenção. Note que estou em São Paulo e há um grupo com sotaque fortíssimo carioca. Cariocas são sempre espalhafatosos como galos no aterro. Sem preconceitos, imaginem galos bonitos e cheios de vitalidade. Como se não bastasse, esses cariocas são comissários de bordo de uma mesma companhia aérea (só não descobri qual). De repente lembro da linha do ônibus em que estou: Perdizes – Aeroporto. Eu irei descer apenas alguns pontos antes deles. Poucas vezes me dou conta de que moro tão perto de um aeroporto, doméstico de fato, mas nunca pus os pés nele para sair pelo alto.
A conversa deles me interessa, me seduz. Já quis ser aeromoça, dormir em aeroportos e tomar um drink cada dia em uma cidade global diferente. Não há escritórios, e nem trajetos diários, ou cartões de ponto, no lugar disso há dias amanhecendo em estacionamentos de aeroportos, diárias em hotéis, malas de viagem, táxis, estrelas, raios de sol e nuvens a vencer. Saint-Exupéry era aviador e me fez gostar ainda mais desse negócio de voar.
Se um dia tudo o que eu quero ser não desse para eu ser, eu faria (verbo condicional, designa desejos, fantasias, e pesares; reaprendi isso hoje no francês) um curso de comissária de bordo e faria isso por alguns anos até enjoar. Se é que enjoa.
Diz aí, eu tenho cara de comissária?
Hahahahahhahahahhaha

4 Comments:

At 9:05 PM, Blogger 999 said...

vc escreve de um jeito mto legal de se ler. assim, sei la, confortavel, nao sei a palavra, criativo, da vontade de comer, digerir calmamente, sei la, sei la.
eu odeio conversas de onibus. acho que sou mto antisocial. me obrigo a dormir e pronto.
e tb nao me agrada ser aeromoca porque tem que ser simpatica com as pessoas, mtas delas asquerosas.

 
At 2:01 PM, Blogger Larissa said...

Priscila:
"dá vontade de comer", que legaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaal! Adorei! Pra mim é um elogio e tanto! Valeu

e realmente tenho dó das aeromoças que tem que aguentar cliente insuportável. devem ter muitos chatos. a maioria.

 
At 2:01 PM, Blogger Larissa said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

 
At 2:17 PM, Anonymous regina said...

Ser aeromoça só vale a pena pelo uniforme, pq imagino q seja um saco ficar bancando a garçonete de avião...
bjos, regina

 

Postar um comentário

<< Home