26 de setembro de 2006

Jack in the Box

Certas coisas mudam aos poucos, como por exemplo hoje eu estar mais confortável com minha vida, por uma questão de ponto de vista. Ou uma questão de mais seratonina no cérebro, por razão desconhecida, mas apreciada. E assim os sentidos se aguçam naturalmente, e eu consigo extrair mais do mesmo.
Mas eu me queixo de uma coisa. Há dias em que eu sinto imensa vontade de implorar por pequenas surpresas, ou grandes surpresas, desde que que sejam boas, claro. Não há nada na vida como uma boa surpresa, uma notícia, um encontro inesperado, enfim, não consigo definir surpresa. Mas é algo próximo aos pelos do coelho na cartola. Acabei de ver no dicionário. Entre outras definições chatinhas, há uma assim: prazer inesperado.

-Um kinder ovo
-Um bilhetinho ou carta de uma amiga
-Saber por terceiros que uma pessoa de quem você gosta perguntou por você.
-Ganhar na loteria
-Acordar e sentir cheiro de chuva, ou de bolo de chocolate assando.
-Uma chuva que cai no fim da tarde, e para, levando embora o cobertor cinzento, trazendo um ar puro típico das manhãs.
-Andar pela cidade e perceber sua pulsação acelerada

Talvez eu esteja ficando velha, e chata, e não me surpreenda mais tanto quanto desejaria. Afinal, a primeira vez se exigue na... primeira vez! Depois sempre será uma repetição, um ato já visto, experimentado, vivido, etc... Mas não é possível uma pessoa ficar velha com 22 anos. O mundo é grande. Mas certas coisas eu já sei. Por exemplo, sei que posso almoçar a mesma coisa aqui e do outro lado do mundo. Inclusive a mesma comida (arroz com salsicha), na mesma marmita. Porém a salsicha de lá é ardida e explode na boca quando morde. Ewwwwww. Detalhe, aquela salsicha japonesa é de se comer uma única vez, e não é o tipo de surpresa que estou falando.

3 Comments:

At 11:06 AM, Blogger 999 said...

que lindo!
uma grande surpresa pode te fazer velha em um segundo.

 
At 9:05 AM, Anonymous Eu mesma said...

uma grande surpresa traumática e ruim, vc quis dizer, né? dessas eu não quero não!

 
At 4:50 PM, Anonymous  said...

ahhh eu gosto muito do seu jeito de pensar Larissa. Mesmo. E acho que isso é o que te mantém na lista das minhas pessoas preferidas no mundo, mesmo a gente se vendo cada vez menos. Eu ia te convidar para fazer alguma coisa hoje, mas cochilei e agora estou com a cara inchada! hahahaha....deixa pra depois. Mas não pra muito depois, ok?
beijos.

 

Postar um comentário

<< Home