25 de junho de 2006

depois de falar tanto dela, sinto que devo postá-la também

Carta ao Tom
Vinicius de Moraes

Rua Nascimento Silva, cento e sete
Você ensinando prá Elizete as canções de canção do amor demais
Lembra que tempo feliz, ai que saudade, Ipanema era só felicidade
Era como se o amor doesse em paz
Nossa famosa garota nem sabia
A que ponto a cidade turvaria este Rio de amor que se perdeu
Mesmo a tristeza da gente era mais bela e além disso se via da janela
Um cantinho de céu e o Redentor
É, meu amigo, só resta uma certeza, é preciso acabar com essa tristeza
É preciso inventar de novo o amor

1 Comments:

At 3:34 PM, Anonymous Regina said...

Holly Shit!!
Quanto tempo! E a Cintia? Nossa, lembro de vcs, sempre cheias de idéias de artesanato, culinária, curtindo o Billie Joe Armstrong...puxa, deu saudades de vcs. Combinem com a Fefe e venham aqui ver o Quincy!! (cada dia mais parecido com um urso polar, huahuahua!!)
Vou colocar um link pro seu blog lá no meu, ok?!
bjos, adorei o seu blog!!

 

Postar um comentário

<< Home